sábado, 22 de março de 2014

Conheça a história de transformação do povoado Porto do Mato...


Publicado por: Infonet - Cidade - Especial - 06/09/2008.

Construção de uma cidade motivada pela força do amor
Conheça a história de transformação do povoado Porto do Mato, protagonizada pelo missionário Pe. Humberto Leeb

Porto do Mato, município de Estância. Uma comunidade distante pouco mais de 70 km da capital sergipana e o cenário ideal para colocar em prática a premissa “Só o amor transforma o mundo”. O personagem principal, padre missionário austríaco Humberto Leeb, que juntamente com Joana Batista Cosa, modificou a miséria de um lugar em um grande centro de referência social e religiosa na região, através do Centro Social Pastoral Esperança de Deus. Após 32 anos de trabalho, Leeb conclui seus trabalhos por ter completado os 75 anos de idade e deixa uma cidade completamente transformada para o desenvolvimento social e jovens multiplicadores do conhecimento e serviço ao próximo.

Como tudo começou ...

O trabalho iniciado pelo padre Leeb gerou reconhecimentos locais como o prêmio Líderes e Vencedores recebido no último dia 14, além de prêmios internacionais por sua atuação na guerra da Biafra e um legado de trabalho missionário como exemplo para qualquer cidadão com a missão de transformar o mundo. Mas para todo esse mérito acontecer, da saída da Alemanha à chegada em Porto do Mato com a atual construção do Centro Social, foi um percurso de ‘luta’.

“Chegando nessa comunidade em Sergipe, indicada por Joana, nativa do local, encontramos um deserto. 70% das crianças com menos de dois anos de idade morrendo por desnutrição, ou melhor, no esqueleto. Pessoas desesperadas sem ter o que comer e uma realidade comumente vista na guerra, só que não era guerra. Isso me inquietou”, lembra dizendo que o amor pode mudar o mundo.

Desde o seu começo, a obra pastoral beneficiou entre 5 e 10 mil crianças. “O Centro Social Pastoral Esperança de Deus foi a forma de chegar à população para construir um referencial de transformação das pessoas, social e religiosamente. Nesse espaço, foi possível um acesso de aprendizado profissional. Então, os jovens aprendiam habilidades de eletricista, marceneiro, professor, pintor, padeiros, entre outros”, diz. Pe. Leeb reforça que foi dada uma base para a comunidade trabalhar e modificar-se socialmente.

A vontade de ajudar ao próximo partiu de missão própria. “Fomos [o padre e Joana] à Europa e fizemos campanhas, arrecadamos dinheiro para a construção da obra. Não tem cunho político. Atualmente, o Núcleo agrupa um restaurante popular, posto de saúde, Oficina do Pão e a Pousada do Padre. Além de um complexo educativo com estádio, creche, ginásio, com mais de 552 alunos e professores da região que estudaram em Universidade”, conta. vangloria-se do último trabalho realizado que teve especial motivação a Geovana Olveira Lima.

Por que o Brasil? Sergipe? E Porto do Mato?

Leeb, que fez voto de pobreza, destaca que um dos pontos que mais chamou sua atenção foi a forma que os brasileiros encaram a vida. “Já passei em missão por diversos lugares onde vi sofrimento, mas o Brasil é impressionante, eles conseguem ver alegria mesmo estando em meio ao sofrimento. Isso realmente me chama a atenção porque em outros lugares não se vê isso. A beleza das cores, do calor humano, do futebol, dos índios, fez o austríaco vir para o Brasil e ter um carinho especial para me estabelecer”, conta.

Ele explica que poderia ter feito trabalhos em outros locais e fala de diversas campanhas internacionais que fez em países como Paquistão, Vietnã, Índia, Etiópia, mas a fé, juntamente com a vontade de ajudar ao próximo, e a beleza da região o fez optar por Porto do Mato.

Vitórias e missão cumprida

Reconhecimento é resultado do trabalho realizado. “Em 2004, alunos, filhos e filhas dos pescadores do Porto do Mato, foram à Europa mostrar um musical contando a história do local e do Brasil", conta. Em Viena e Monique, os jovens receberam muitos aplausos. Para Pe. Leeb isso mostra que os pobres também têm talentos que só precisam ser descobertos.

"Então essa foi a maior vitória. Hoje, minha missão está cumprida, entregarei a obra no final do ano, quando vou me desligar dos trabalhos por ter meus 75 anos de idade, conforme determina o posicionamento igreja", explica.

O padre completa que "tracei esperança onde tinha desespero e agora chega a hora de entregar tudo nas mãos dos brasileiros e escolhi a Igreja para a continuidade dos trabalhos do Evangelho Luz e Vida", (...)

[Publicado pelo Portal Infonet, em 6 de setembro de 2008].

Foto e texto reproduzidos do site: infonet.com.br/cidade

Postagem originária da página do Facebook/MTéSERGIPE, de 22 de março de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário